LIVROS DE FOTOGRAFIA EM PORTUGAL: DA REVOLUÇÃO AO PRESENTE

LIVROS DE FOTOGRAFIA EM PORTUGAL:

DA REVOLUÇÃO AO PRESENTE

Editores David‑Alexandre Guéniot, Filipa Valladares, José Luís Neves, Susana Lourenço Marques
Prefácio Horacio Fernández
Textos Catarina Rosendo, Emília Tavares, Filipe Figueiredo, Inês C. Fernandes, João Seguro, José Bértolo, José Luís Neves, Margarida Medeiros, Mário Moura, Miguel von Hafe Pérez, Sandra Vieira Jürgens, Sérgio Mah, Susana Lourenço Marques, Susana S. Martins, Tania Martuscelli
Fotografias Dinis Santos
Design Pedro Nora
Co‑edição GHOST Editions, Pierrot le Fou e STET – livros & fotografias

“Livros de Fotografia em Portugal: Da Revolução ao Presente” propõe mergulhar o leitor na fértil história do livro de fotografia português a partir da década de 1970. Elege como objecto de estudo o livro de fotografia por ser um veículo de criação artística e documental, e ponto de convergência para a colaboração entre fotógrafos, designers, escritores e editores. Dividido em sete capítulos temáticos, este estudo analisa a produção de livros como ferramenta política, a relação entre imagem fotográfica e texto, a dimensão arquivística e institucional do livro de fotografia, as qualidades materiais e performativas desta prática editorial e artística, bem como a ideia de território e identidade ou a prática editorial do livro de fotografia nas primeiras décadas do século XXI. Oferecendo uma contextualização abrangente dos livros selecionados, engloba aspectos históricos, políticos, artísticos e sociais, com o intuito de contribuir para uma leitura inovadora sobre a história da fotografia em Portugal.

488 páginas, 365 fotografias
88 livros selecionados que incluem mais de 100 fotógrafos
15+1 autores convidados

21 x 28 cm
Tiragem: 650
ISBN: 978‑989‑54422‑9‑4

Apoios Direção-Geral das Artes/República Portuguesa, Fundação Calouste Gulbenkian / Biblioteca de Arte, FCSH/IHA-IN2PAST

“Photography Books in Portugal: From the Revolution to the Present” proposes to immerse the reader in the fertile history of the Portuguese photography book from the 1970s onwards. It chooses the photography book as its object of study as it is a vehicle for artistic and documentary creation, and point of convergence for collaboration between photographers, designers, writers and editors. Divided into seven thematic chapters, this study analyzes the production of books as a political tool, the relationship between photographic image and text, the archival and institutional dimension of the photography book, the material and performative qualities of this editorial and artistic practice, as well as the idea of territory and identity or the editorial practice of photography books in the first decades of the 21st century. Offering a comprehensive contextualization of the selected books, it encompasses historical, political, artistic and social aspects, with the aim of contributing to an innovative reading of the history of photography in Portugal.

LIVROS DE FOTOGRAFIA EM PORTUGAL: DA REVOLUÇÃO AO PRESENTE

LIVROS DE FOTOGRAFIA EM PORTUGAL:

DA REVOLUÇÃO AO PRESENTE

Editores David‑Alexandre Guéniot, Filipa Valladares, José Luís Neves, Susana Lourenço Marques
Prefácio Horacio Fernández
Textos Catarina Rosendo, Emília Tavares, Filipe Figueiredo, Inês C. Fernandes, João Seguro, José Bértolo, José Luís Neves, Margarida Medeiros, Mário Moura, Miguel von Hafe Pérez, Sandra Vieira Jürgens, Sérgio Mah, Susana Lourenço Marques, Susana S. Martins, Tania Martuscelli
Fotografias Dinis Santos
Design Pedro Nora
Co‑edição GHOST Editions, Pierrot le Fou e STET – livros & fotografias

“Livros de Fotografia em Portugal: Da Revolução ao Presente” propõe mergulhar o leitor na fértil história do livro de fotografia português a partir da década de 1970. Elege como objecto de estudo o livro de fotografia por ser um veículo de criação artística e documental, e ponto de convergência para a colaboração entre fotógrafos, designers, escritores e editores. Dividido em sete capítulos temáticos, este estudo analisa a produção de livros como ferramenta política, a relação entre imagem fotográfica e texto, a dimensão arquivística e institucional do livro de fotografia, as qualidades materiais e performativas desta prática editorial e artística, bem como a ideia de território e identidade ou a prática editorial do livro de fotografia nas primeiras décadas do século XXI. Oferecendo uma contextualização abrangente dos livros selecionados, engloba aspectos históricos, políticos, artísticos e sociais, com o intuito de contribuir para uma leitura inovadora sobre a história da fotografia em Portugal.

488 páginas, 365 fotografias
88 livros selecionados que incluem mais de 100 fotógrafos
15+1 autores convidados

21 x 28 cm
Tiragem: 650
ISBN: 978‑989‑54422‑9‑4

Apoios Direção-Geral das Artes/República Portuguesa, Fundação Calouste Gulbenkian / Biblioteca de Arte, FCSH/IHA-IN2PAST

“Photography Books in Portugal: From the Revolution to the Present” proposes to immerse the reader in the fertile history of the Portuguese photography book from the 1970s onwards. It chooses the photography book as its object of study as it is a vehicle for artistic and documentary creation, and point of convergence for collaboration between photographers, designers, writers and editors. Divided into seven thematic chapters, this study analyzes the production of books as a political tool, the relationship between photographic image and text, the archival and institutional dimension of the photography book, the material and performative qualities of this editorial and artistic practice, as well as the idea of territory and identity or the editorial practice of photography books in the first decades of the 21st century. Offering a comprehensive contextualization of the selected books, it encompasses historical, political, artistic and social aspects, with the aim of contributing to an innovative reading of the history of photography in Portugal.

 

Lançamento no Porto | Livros de Fotografia em Portugal: da Revolução ao Presente | 26 Janeiro | Passos Manuel

Lançamento no Porto

LIVROS DE FOTOGRAFIA EM PORTUGAL:
DA REVOLUÇÃO AO PRESENTE

26 Janeiro 2024 / 22h00
Passos Manuel

Com a presença dos editores David-Alexandre Guéniot, Filipa Valladares, José Luís Neves, Susana Lourenço Marques e a participação de Mário Moura e José Bértolo.

Uma co-edição GHOST / Pierrot le Fou / STET

Lançamento Livros de Fotografia em Portugal: Da Revolução ao Presente / 19 Janeiro 2024

Lançamento 

LIVROS DE FOTOGRAFIA EM PORTUGAL:
DA REVOLUÇÃO AO PRESENTE

19 Janeiro 2024 / 18h15
Fundação Calouste Gulbenkian (Sala 1) / Av. Berna, 45

Com a presença dos editores David-Alexandre Guéniot, Filipa Valladares, José Luís Neves, Susana Lourenço Marques e a participação de Horácio Fernandez, Emília Tavares e Susana S. Martins.

Uma co-edição GHOST / Pierrot le Fou / STET

Cimitero di S. Cataldo by Fotografia de Nuno Cera | Pierrot le fou

Cimitero di S. Cataldo
Fotografia de Nuno Cera
Texto de André Tavares
Portuguese/English edition
32 paginas | 23 x 16 cm
300 exemplares
Pierrot le fou, 2017

«Na Primavera de 2009, eu e o fotógrafo Nuno Cera visitámos o Cemitério de San Cataldo, onde ele tirou uma série de fotografias da obra prima, inacabada, de Rossi. O cemitério estava, como é habitual, vazio e silencioso. Nuno tomou o seu tempo para escolher os melhores enquadramentos. Esperou, e depois começou a disparar. A sua postura ensinou-me algumas coisas mais acerca do lugar. San Cataldo está repleto de memórias dos que já partiram e aí estão enterrados. É, em simultâneo, duro e belo, tal como a própria vida. Nas palavras do arquitecto: para lá das exigências municipais, das práticas burocráticas, do rosto do órfão, do remorso das relações privadas, da ternura e da indiferença, este projecto para um cemitério condiz com a imagem do cemitério que cada um de nós possui. A banalidade do conjunto oscila entre o horror do anonimato e a magia do prosaico. Enquanto olhamos através das janelas que alternam sem cessar, entre os túmulos, a vida continua.»
Diogo Seixas Lopes, “The Evil Twin”, in Uncube Magazine, 11.2015

 

Lançamento Cimitero di S. Cataldo de Nuno Cera | Pierrot le Fou | 11 Março | Bar irreal

Lançamento do novo fascículo da Pierrot le Fou:
Cimitero di S. Cataldo de Nuno Cera, com texto de André Tavares

Sábado | 11 Março | 19.30h / 21.00h
Bar irreal | Rua do Poço dos Negros, 59 | 1200-336 Lisboa

Com a presença dos autores Nuno Cera e André Tavares e dos editores

Pierrot le fou é uma editora dedicada à fotografia, fundada em 2012 por Dulcineia Neves dos Santos, Susana Lourenço Marques, Bruno Figueiredo e Pedro Bandeira, sito em Porto e Basileia.

Cimitero di S. Cataldo
Nuno Cera
Texto de André Tavares
Portuguese/English edition.
32 paginas | 23 x 16 cm
300 exemplares
Pierrot le fou, 2017

Lançamento organizado por STET – livros & fotografias

 

Quem te ensinou? — ninguém | Elvira Leite | Pierrot le fou

Quem te ensinou? — ninguém
Elvira Leite
Texto de Susana Lourenço Marques
Portuguese/English edition
32 p. | 23 x 16 cm
300 exemplares
Pierrot le fou, 2016

 

Quem te ensinou? — Ninguém, é um fascículo Pierrot le Fou que tem como base a exposição com o mesmo nome, apresentada na FBA.UP de 21 de Abril e 25 de Junho de 2016, com curadoria de Lúcia Almeida Matos e Susana Lourenço Marques. Revisita o projecto de actividades de expressão criativa concebido e concretizado por Elvira Leite envolvendo os moradores do largo de Pena Ventosa, no Bairro da Sé, no Porto, no seguimento da extinção do Serviço Ambulatório de Apoio Local (SAAL), em 1976.

Maria Elvira Vieira Pereira Leite (n. 1936) terminou o curso de Pintura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, em 1964. Apesar do muito precoce sucesso artístico, optou por uma carreira de professora após terminado o Curso de Ciências Pedagógicas. A partir de 1976 dedicou-se também a atividades de animação cultural; foi consultora da UNESCO para o ensino artístico em países de expressão portuguesa; a convite do governo português, planificou e coordenou ações de formação com mulheres emigrantes portuguesas em vários países europeus. Foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian para realização de material educativo para a área artística; foi consultora do Museu Nacional de Soares dos Reis, do Centro Regional de Artes Tradicionais e do Serviço Educativo da Fundação de Serralves.

 

A arquitetura moderna foi para o céu | Teófilo Rego | Pierrot le fou, 2016

A arquitetura moderna foi para o céu
Teófilo Rego
Texto de Pedro Bandeira
Portuguese/ English edition
32 p. | 230x 16 cm
300 exemplares
Pierrot le fou, 2016
A arquitetura moderna foi para o céu é um fascículo Pierrot le Fou que tem como base o arquivo fotográfico de Teófilo Rego, acolhido pela Fundação Manuel Leão / Casa da Imagem. No âmbito específico da arquitetura, o trabalho de Teófilo Rego (1914 – 1993), documenta um dos mais completos retratos da arquitetura moderna do norte de Portugal, reunindo fotografias das obras de arquitetos, como José Marques da Silva, João Andresen, Januário Godinho, Arnaldo Araújo, Luís Pádua Ramos, José Carlos Loureiro, Alfredo Viana de Lima, Agostinho Ricca ou Rogério de Azevedo.

Modern architecture went to heaven is a fascicle of Pierrot le Fou that used the photographic archive of Teófilo Rego at Fundação Manuel Leão / Casa da Imagem.
The work by Teófilo Rego (1914 – 1993) documents one of the most complete portraits of modern architecture of Northern Portugal, assembling pictures of the works of such architects as José Marques da Silva, João Andresen, Januário Godinho, Arnaldo Araújo, Luís Pádua Ramos, José Carlos Loureiro, Alfredo Viana de Lima, Agostinho Ricca and Rogério de Azevedo.